segunda-feira, 17 de junho de 2013

POEMA, AOS OITENTA

Francisco Miguel de Moura*
     Aos primeiros 80 anos



 Comecei meus poemas pelo amor,
Amor à mãe, ao pai, tão bons e crentes,
Amei os meus irmãos e meus parentes,
Que a arte para mim rimava em flor.

Namoradas, no tempo, eu alcancei,
Que motivaram poemas a mancheias,
Umas novas e belas, outras feias...
Príncipe fui, pensando ser um rei.

Sorridente e cativo da palavra,
Da verdade que flui e então se lavra,
Resisti bem aos sonhos em reverso,

Pois carreguei com força o meu passado,
Fiz glosas sobre o bem e o mal-amado,
E me encantei nas curvas do universo.

                                     Teresina, PI, 15/06/2013
_________________
*Francisco Miguel de Moura, poeta brasileiro, mora em Teresina, PI, Brasil. Nos temas e na forma, canta o amor, a dor, as paixões, os sonhos e as luzes do Universo.

5 comentários:

Verinha Portella disse...

Muito estimado Poeta!

Maravilhoso , uma vida dedicada a essa arte linda que é criar poesia.
O príncipe hoje é Rei!!!
Que Deus abençoe-o sempre.
Obrigada por compartilhar um pouquinho de ti.

beijos
vraportella

Antonio Lopes disse...

Todos os poemas de um trabalho tão bonito e longevo,são feitos pelo amor: amor às pessoas e à cultura..
Muito bonito e reconfortante..

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Um soneto de encantar!
Amor e vida que se sente transbordar...Parabéns, Chico.

regina ragazzi disse...

E hoje aos oitenta um poeta com uma obra belíssima.
Parabéns poeta. Sempre minha admiração.

CHIICO MIGUEL disse...










Comentaristas do meu poema, aos oitenta:
Muito gratos pela gentilza, generosidade e amor à poesia e por isto aos poetas. Sinceramente, não tenho palavras que expressar o que sinto de felicidade neste momento, recebendo o reconhecimento de quem me lê, como vocês.
Abraços a todos e beijos a quem de direito (minhas amigas), mas a todos com muito carinho.
francisco miguel de moura











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...