sexta-feira, 21 de setembro de 2012

DOIS POEMAS DE FRANCISCO MIGUEL DE MOURA


UNS OLHOS    
 VERDES        







 Francisco Miguel de Moura*



1

Uns olhos me ferindo o coração,
Mostravam graça e fresca juventude
A mim, rondando já a senectude.
Verdade ou fingimento? Uma ilusão...

Uns olhos de paixão, de forte luz

Tal como um raio que perfura o chão,
Sob o qual sucumbiu por tentação
Meu doce e fundo olhar. Assim me expus.

Uns olhos, todo dia e sem dar tréguas,

Vindo e voltando andavam tantas léguas,
Em busca da grandeza dessa oferta.

Mas a dona fugiu-me de repente,

Porém deixou comigo o olhar virente
Que não se apagará, nesta alma aberta.

2           

OUTROS OLHOS

         
Teus olhos me cansaram por te ver
Tão desejosa de falar. Ou mentes?
Já os meus, quase mortos ou descrentes
                  Emudeceram
            Nunca para sempre.

Uma vez acesos, olhos não se apagam,

Bocas não se calam quando a cor
Do amor
Tinge a pele e os cabelos.

Mesmo em cicíos falam

Aquilo que em silêncio é desperdício.


_____________
*Francisco Miguel de Moura, poeta brasileiro, mora em Teresina, Capital do PIAUÍ, Brasil, onde exerce sua atividade de escritor, com página às sextas-feiras e sábados no jornal "O Dia", o melhor e o mais antigo da Capital. Ilustra esta página, a cantora Avril-Lavine, colhida, na internete: "essas e outras blog informativo".




2 comentários:

regina ragazzi disse...

Oi Chico!!! Vim agradecer suas visitas ao meu blog. O que muito me honra, com certeza.
Esses seus dois poemas,( assim como todos que vc escreve) são belíssimos. Aqui me sinto respirar poesia.Vc é um grande poeta!! Merece ser reconhecido como tal.Te aplaudo. Abraços.

Marisete Zanon disse...

Maravilhosos!!! Amei, amei...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...