terça-feira, 3 de junho de 2014

POETA FUI... Inédito de Francisco Miguel de Moura

           
Soneto


Poeta eu fui, e fui desde os primeiros
Anos, quando entendi-me um sonhador;
Na minha adolescência, tanto ardor
Aproveitei em versos prazenteiros.

Poeta fui, explorei as sutilezas
Nas palavras, nas coisas, sem temor
De errar a rima, o metro, e sem fragor,
Da mulher desfrutei tantas surpresas.

Poeta fui, do namoro ao casamento,
Desde o primeiro ao último rebento,
Gostei de tudo, até dos cinquenta anos.

Mas duro é ser poeta dos setenta,
Quando osso quebra e vaso se arrebenta,
Sem se queixar das dores, desenganos.

______________
*Francisco Miguel de Moura, poeta brasileiro, nascido  no Piauí, mora em Teresina, a capital mais verde do país. Em poesia, faz tudo. Este um soneto inédito até agora,  do livro inédito “Itinerário de passar a tarde”.


2 comentários:

Pedro Luso disse...

Caro Chico Miguel,
Gostei de seu poema, no qual o poeta canta todas as fases da vida, em todas elas sendo poeta; poeta que continua cantando mesmo depois dos setenta anos.
Desejo ao amigo um bom final de semana.
Um abraço.

Pedro Luso disse...

Caro Chico Miguel,segue a minha resposta ao seu comentário no meu Blog Veredas, na postagem "O Padre":

"Embora tenha lido "Poeta Fui" há pouco tempo, não memorizei com exatidão o primeiro verso de seu poema; o que posso dizer, como já o fiz antes, é que já tinha gostado como estava escrito; e agora que o li, na sua integralidade, reafirmo tratar-se de um belo poema, Parabéns".

Agora que estou aqui novamente pude ler a modificação que você fez no primeiro verso:

Já tinha gostado do seu poema, amigo Chico Miguel, mas agora o achei melhor ainda.

Um abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...