quarta-feira, 13 de julho de 2011

ESTE MUNDO É MEIO LOUCO

 Francisco Miguel 
      de Moura*
 


Vivemos num mundo de mudanças muito rápidas, em direções diversas e até contrárias ao estágio anterior. É um mundo meio louco. Dois exemplos, recebidos por escrito, são suficientes para a confirmação. O primeiro foi através de um e-mail de minha amiga escritora e agitadora cultural, Teresinka Pereira, atual presidente da Associação Internacional de Escritores e Artistas (IWA, sigla em inglês, pois tem sede nos Estados Unidos), cuja correspondência transmite um fato estarrecedor, ocorrido no Brasil de hoje: “Paulo, 28 anos, casado com Sônia, grávida de quatro meses, desempregado há dois meses, sem ter o que comer em casa, foi ao rio Piratuaba-SP, distante cinco quilômetros de sua casa, pescar para ter uma misturinha com o arroz e feijão, e pegou 900 gramas de lambari, sem saber que era proibido a pesca naquela época, por isto foi detido por dois dias, antes tendo levado umas porradas. Um amigo pagou a fiança de R$ 280,00 para liberá-lo e ficou devendo ao IBAMA uma multa de R$ 724,00. A mulher Sônia, sem saber o que acontecera com o marido supostamente desaparecido, ficou nervosa, passou mal e foi parar no hospital, onde sofreu aborto. Ao sair da detenção, Paulo recebe a notícia de que a esposa estava no hospital e perdera o filho. Tudo isto por causa dos míseros peixinhos que ficaram apodrecendo no lixo da delegacia. Quem poderá devolver o filho a Sônia e Paulo? Enquanto isto acontece, Henri Philippe Reichstul, de origem estrangeira, Presidente da PETROBRAS, é responsável pelo derramamento de um milhão e 300 mil litros de óleo na Baía da Guanabara, matando milhares de peixes e pássaros marinhos. Responde também pelo derramamento de cerca de quatro milhões de litros de óleo no rio Iguaçu, que ficam destruindo a flora e fauna e comprometendo o abastecimento de água em várias cidades da região. Crime contra a natureza, inafiançável, mas encontra-se em liberdade”. 

Os fatos acima beiram o absurdo. Mas vejamos ainda as declarações da atriz Catherine Deneuve, publicadas pela Veja (22.6.2011), sobre a proibição aos fumantes. Perguntada se era fumante num mundo que quer banir cigarro, ela responde: “Entendo o desejo de proteger os não fumantes, mas considero as restrições ao cigarro e aos fumantes um atentado à liberdade individual, um exagero. Enquanto se proíbe o cigarro, vários carros estão nas ruas poluindo tudo com fumaça preta”. As palavras de Deneuve são interessantíssimas e não se restringem apenas ao cigarro, à poluição. Mas, para mostrar que nosso mundo é muito estranho, louco – esta parte é suficiente.  


Por último, ressalto um problema inserido no rol do que chamo de “um mundo meio louco”: - A união patrimonial de pessoas do mesmo sexo, consagrada pela justiça, e matrimonialmente por conta do direito que tem o “casal” à adoção de crianças.  A ciência, porque depende do poder, tem sido leniente, quase covarde em não firmar que a homossexualidade é uma exceção (ou desvio) da natureza, não uma regra. Todos, de qualquer sexo ou de nenhum, é claro, devem ter uma vida digna, com direitos e deveres cívicos, sem preconceitos, porém deveriam ser tratados como minorias enquanto são. Nada de mascarar a verdade. O problema é que estas e outras minorias, no mundo chamado moderno, contemporâneo, “mundo meio louco”, têm sido erroneamente elevadas a modelo ou padrão, no meu juízo e no de muitos que se calam, sejam minorias sociais, sejam naturais. Culpo principalmente a mídia, de modo especial a tevê, pela forma como apresenta o fenômeno. E nem temos como pensar a que destino nos levarão essas estranhezas. Vamos chegar a um tempo em que os casais verdadeiros vão ter vergonha (ou já têm?) de dizer que são casados. É a morte inelutável da família, célula mater da sociedade, desde os primórdios. 

_____________
*Francisco Miguel de Moura, escritor brasileiro, mora em Teresina, PI. 
Acesse também: http://cirandinhapiaui.blogspot.com

14 comentários:

Luiz Filho de Oliveira disse...

A história de Paulo lembra o conto "O Malfeitor", de Anton Tschkhov; porém, acrescido de mais elementos trágicos; a Deneuve há de ter o espaço dela longe de mim; já os homoafetivos, eles estão se achando mesmo; e vc tem razão e certeza no seu ponto de vista: isso é por conta da mídia televisiva, principalmente. Por isso é que até os imbecis do governo (aquele representante do MEC, em especial) fazem piada dessa "política homoafetiva" demais!

Drisph disse...

Chico, honradamente o recebo como seguidor de meu blog, vejo aqui, um paraíso literário, gostei muito do texto, rico em informações e o modo como nos é apresentado, uma obra, certamente.
Está participando automaticamente da promoção do meu blog ao segui-lo, todo mês, concorrendo a um livro sorteado entre os seguidores, e se lhe interessar em ser um autor parceiro do blog, basta me procurar para eu lhe passar as diretrizes.
um grande abraço.
Adriana

Drisph disse...

Olá Chico, poeta dos ventos! Salve!
então meu caro, já está participando do blog, caso queira ser autor parceiro, postarei alguma obra tua para divulgá-la em meu blog; do outro modo, temos uma promoção de divulgação dos livros em forma de sorteio, todo dia 10 de cada mês, sorteamos livros dos autores parceiros entre os seguidores do blog, para participar desta promoção, é só me indicar qual livro você poderá disponibilizar para o sorteio, vou divulgá-lo em rede nacional, e quando ocorrer a contemplação do livro, eu lhe passo o endereço de quem foi o "sortudo", e você o envia, autografado, se desejar, deste modo, divulgando a sua obra.
Qualquer uma das duas participações você será honradamente recepcionado de agrado!
Feliz por tua visita no diário, e ganhou, certamente, uma amiga literária.
Um abraço!
Adriana.
Obs; Drisph é meu apelido artístico

CHIICO MIGUEL disse...

Adriana,
Irmã de letra e poesia:

Peço que você coloque no soteio meu livro "Fortuna Crítica de Francisco Miguel de Moura", inclusive, se você desejar recebê-lo, independente de sorteio, mande-me seu endereço postal (Correio Comum), para que eu possa enviá-lo.
Ele não está mais à venda.
Os que estão sendo lançados em agosto sao os seguintes: "O menino quase perdido" e "A graça de cada dia". Se puder divulgar em seu site, diga o que tenho de mandar-lhe, por e-mail (ainda não sei o seu e-mail). O meu é: franciscomigueldemoura@superig.com.br
Meus blogs são: http://franciscomiguelde moura.blogspotcom
http://abodegadocamelo.blogspot.com
e
http://cirandinhapiaui.blogspot.com
Abraço com carinho
Francisco Miguel de Moura

Anônimo disse...

Gostaria de saber como é ser tratado como minoria?
Como é viver dignamente e ser tratado como minoria?
É justo compartilhar a vida com outra pessoa, trabalhar, tratar nas doenças, amar, amparar, construir um patrimônio e depois a mesma família que virou as costas herdar tudo?
A sagrada família muitas vezes vira as costas e desvira na momento de se benecifiar de bens materiais.

Não existe no Brasil casamento entre pessoas do mesmo sexo. Casamente é um contrato chamado casamento; é só isso e nada mais.

Num país onde crianças são abandonadas aos montes, uma mulher sozinha pode adotar uma criança, um homem sozinho pode adotar uma criança, duas mulheres podem adotar uma criança, dois homens podem adotar uma criança, um casal heterossexual pode adotar uma crianças. E todos, pelos menos em tese, passam pelo crivo rigoroso no processo de adoção. Quando se enxerga o mundo sem preconceito, aceita-se a hipótese de que a preferência sexual é uma coisa e o caráter é outra. E homossexualismo não é novidade do mundo noderno. Sabe-se que o poeta Virgílio (Aquele citado na Divina Comédia) tinha preferência por homens.
A natureza é a natureza. Ela não é boa nem má nem torta nem reta. É simplesmente.
O homossexualismo não é bom nem mau; é uma simples realidade que está entre nós desde que o mundo é mundo.
Amadeu Batista
Teresina-PI

CHIICO MIGUEL disse...

Todos os individuos da raça hominídia, de qualquer gênero ou sexo - cada um de per si - é minoria, porque ninguém é igual a ninguém. O que se deve distinguir é a sociedade do indivíduo. A sociedade tem regras, regras que são baixadas (editadas) por ela mesma, superintendidas pelos que mandam. Não significa que esteja isenta de crítica, a menos que se anule o indíviduo e as personalidades.
Sou, ou fui, também discriminado, nem por isto deixei de pensar o mundo, a mim, e o universo.
Não pense que quis discriminar nem incriminar os homo - mas apenas chamar a justiça e os poderosos para deixarem de ser mais poderosos. Um mundo de iguais seria muito triste. Cada um de nós tem o direito de pensar e dizer o que quer, desde que se responsabilize perante a sociedade, por tudo o que faz ou diz Não tenho nada contra ninguém nem contra nenhum sexo desde que não queiram que eu pense igualzinho a eles.
Se ofendi alguém, não foi de propósito e peço que me perdoe.
Paz, saúde e amor!

Drisph disse...

Olá, querido Chico,

Estou visitando os seguidores do blog “o diário de uma poetisa”, para lembrar-lhes, que com muito carinho, do sorteio do dia 10/08 via youtube , e gostaria de saber, para facilitar o sorteio, se você for contemplado, com qual desses livros gostaria de sê-lo? Caso seja um dos contemplados, e se no momento, eu não tiver esta informação, darei como livro, o remanescente entre os escolhidos (por favor, por na ordem de três, caso haja empate em escolhas entre os outros seguidores, o que será decidido pela ordem do sorteio).
Lembrando sempre, que esta é uma iniciativa entre nós, os novos escritores, em busca de um espaço em sua estante. Qualquer sugestão, ou interesse de participar com teu livro (se o tiver) nesta promoção, contate-me pelo email: escritoradriana@hotmail.com
Obrigada pela confiança, carinho e respeito. Confira os livros:
• Os Olhos de Thera – Leia Kiuski
(http://www.bookess.com/read/7095-os-olhos-de-thera-revelacoes/)
• Entre a vingança e o futuro – João Bernardo
(http://www.bookess.com/read/8683-entre-a-vinganca-e-o-futuro-/)
• 12 anos...? – Klever Cavalcanti
(http://www.bookess.com/read/7411-12-anos/)
• O diário de Milena Liebe – Denir Pereira
(http://www.bookess.com/profile/denir/messages/ )
• Entre nós dois – Gustavo Silva
(http://www.clubedeautores.com.br/book/48694--Entre_nos_dois)
• O voo da estirpe – Adriana V. de Aguiar
(http://www.bookess.com/read/9059-o-voo-da-estirpe/)
• Poesia das pétalas - Adriana V. de Aguiar
(http://www.bookess.com/read/9056-poesia-das-petalas/)

Anônimo disse...

Exatamente porque um mundo de iguais é impensável que se está lutando por mais respeito e dignidade com as diferenças. Ninguém está querendo ser igual, mas ser o que é sem que os outros se sintam incomodados. Mas para se alcançar isso a humanidade precisa de HUMANIDADE. SENTIR PENINHA NO HORA DO MASSACRE MUITO POUCO.
Amadeu Batista
Teresina-PI

Sandra Portugal disse...

Que texto bonito e que foto expressiva! Parabéns!

Hoje o ProjetandoPessoas comemora 11 meses de existência! E de hoje até 24/08, quando o Blog completa 1 ano de vida, preparei uma sequência de surpresas para o Blog, homenageando grandes amigos de jornada! Espero que você aprecie a minha forma de celebrar essa conquista e me passe seu feedback sincero a medida que meu plano de 30 dias de festa avance! Serão dias diferentes de postagens até aqui! Mas tenha certeza de que está sendo preparado com muito carinho para todos! Aguardo seus comentários, críticas construtivas ou sugestões, ok?
Com muita admiração e respeito por cada um de voces! bjs e abraços Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//
@ProjetaPessoas
Projetandopessoas@hotmail.com

CHIICO MIGUEL disse...

Adiana,
Gostaria de receber o seu livro
POESIA DAS PÉTALAS. OBRIGADO PELA VISITA E COMENTÁRIO
ABRAÇOS
FRANCISCO MIGUEL DE MOURA

CHIICO MIGUEL disse...

AMADEU BATISTA,

Não fique bravo comigo. Já tive e tenho amigos homossexuais,são humanos e bons (ou maus, que isto não depende muito da natureza, eu acredito, depende mais da sociedade). Eu sou humanista, já fui ateu e discriminado; sou feio e discriminado. Os dois casos não são considerados clássicos,mas são preconceitos. Sou contra qualquer preconceito,no artigo eu quis apenas reclamar das forças poderosas que dirigem nosso país e o mundo (todo governo é opressivo, portanto não devemos dar nada aos governos); criticar também a justiça, para que não seja absolutista nas suas decisões; e critiar a média nos seus excessos, quaisquer que sejam.
Foi isto. Concordo com algumas considerações suas e discordo de outras - é natural.
Atenciosamente
Francisco Miguel de Moura

CHIICO MIGUEL disse...

Sandra Portugal,

Velejei por seu blog e achei interessante, lendo alguns texos e vendo as postagens visuais.
Concordo e apoio SUA iniciativa do PROJETANTDO PESSOAS. Parabés.
Vai aqui um poeminha para você e para o projeto;

A ALAVANCA


Luz do sol e escuridão,
meu amor suporta o outro
e quer menos d’um pretexto
pra não sujar os lençóis,
pra não trocar a camisa,
por causa d’outras lembranças.

Cria lindos risos brancos
e cheiro de verde carne,
sexo-flor, sêmen, pecado,
filhos, tristezas e acasos...

Todo está em toda parte,
nos desejos e nas preces,
pra descer ao paraíso,
nem que por minutos só,
entre braços e abraços,
entre pernas e recheios,
poucos risos, mais an(seios).

Meu amor suporta o ventre,
a alma, as veias, as vértebras...

Meu amor acorda o mundo.

______________________
Francisco Miguel de Moura, poeta sobretudo e prosador de muitos livros: romances, contos, crônicas, crítica literária. Já publicou “Poesia in Completa” e com esse título pretende republicar, a mesma obra, revista e aumentada, quando fizer cinquenta anos de estreia (1966-2016)

Anônimo disse...

Não fico bravo, às vezes, fico indignado com o conservadorismo que atrapalha.
Os homossexuais, em vez de marginais, querem ser família, e os tais defenssores da sagrada família ficam contra: em nosso bloco não aceitamos mais ninguém.
Como se fosse uma disputa de espaço no mundo...

Anônimo disse...

"A maior perversidade da discriminação é essa: a de nos cegar para vermos a riqueza de nossa igualdade humana."

AMADEU BATISTA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...